Entardecer Semi-Final


Semifinais da Copa do Entardecer foram acirradas e definiram grupo de atletas que na semana que vem disputam troféu de ouro




Era sábado ensolarado, véspera de final do Campeonato Brasileiro. Na decisão do dia seguinte, Corinthians levaria vantagem sobre o Vasco, podendo empatar com o rival Palmeiras e consagrar-se pentacampeão brasileiro de 2011. Para o time carioca o desafio seria maior: vencer o Flamengo e torcer por um resultado a favor do palmeiras.

O dia inspirava os amantes do futebol. E em uma casa fundada por imigrantes portugueses, não seria difícil encontrar alguém ostentando a cruz de malta, ou disposto a contar toda a bela trajetória do time vascaíno. Com orgulho visível nos olhos e na fala, o membro do Conselho Fiscal da Associação Luso-brasileira de Campo Grande, João Daniel, rebatia as provocações dos amigos de pelada. "Não importa o resultado de amanhã, o Vasco já fez o que tinha que fazer, foi o time do ano" afirmava. Ele, que já viu Dinamite jogando em pleno maracanã no dia 25 de novembro de 1971, tem além do sangue, motivos de sobra para torcer pelo time carioca. Para João Daniel a história do time é admirável, sendo marcado pela quebra de preconceitos e tendo seu estádio construído pelo apoio dos próprios torcedores.

O primeiro jogo da semifinal começou por volta das quatro horas. Os jogos tiveram dois tempos de 25 minutos cada, acréscimo de tempo que fez com que a camisa pesasse mais no fim das partidas com o suor dos atletas. Da arquibancada, Fernando Folgado, que jogaria na segunda partida, observava a formação dos times e tirava suposições. "O time de branco está mais forte, com o Saulo, o Rodrigo, o Ivan... o Zé Galinha também, que é um bom zagueiro, além do Edevaldo, que pega melhor que o Jean" analisou.

A princípio, sua visão de jogo se mostrou real. O time de branco marcou 3 gols de cara. "Três a zero acho que vai ser pouco" se precipitou Fernando. O futebol é uma caixinha de surpresas, diria o poeta amante do esporte. Tanto que os de colete amarelo surpreendentemente correram atrás do resultado e chegaram a empatar em 4 a 4. No fim do segundo tempo, cada apito do juiz era motivo de discussão, afinal, um jogo empatado nessa altura do campeonato significa a possibilidade de um lance definir um campeonato. Mesmo com tamanha garra do time amarelo, os de branco conseguiram finalizar o jogo com um gol do Saulo.

O segundo jogo começou em seguida, com arquibancada mais cheia e sol mais forte. Também foi disputado, terminando em 5 a 3. A decisão de quem leva pra casa o troféu Modesto será no sábado que vem, e promete! Para o craque Modesto, sobrou só a homenagem. Presente em campo para torcer e cornetar os amigos, dizia, inconsolável "este é o primeiro campeonato que eu não classifico".

(*) Máteria e Fotos de André Patroni, retirados do site: www.clubeestoril.com.br

Vejas as fotos.



Faça seu login ou crie uma conta para comentar!

0 Comentário